Fita de Silicone para Cicatriz: Qual a Melhor? Onde Comprar?

A fita de silicone para cicatriz é um produto cheio de eficácia. Diferentemente do que outras fitas fazem, o item de silicone oferece ao corpo resultados mais rápidos e elimina quase que completamente as marcas na pele. Tanto que esse tipo de material é um dos mais indicados pelos médicos após cirurgias, ficando no páreo com as fitas microporosas, também muito comuns.

Segundo um estudo norte-americano, cerca de 100 milhões de pacientes adquirem cicatrizes por ano no mundo. As razões para essas marcas são variadas: cirurgias, acidentes, acidentes domésticos, queimaduras e outros. Mas situações mais simples também podem deixar marcas, como um pequeno corte ou a acne, e até as estrias associadas à mudança rápida de peso.

Os resultados das cicatrizes costumam ser ainda mais marcados quando o indivíduo tem tendência a desenvolver queloides. As queloides são cicatrizes que se formam devido ao excesso de colágeno na pele durante a cicatrização. Quando formadas, elas provocam certo volume na região cicatrizada, com uma marca vermelha e que pode ser levemente incômoda ao toque. Seu surgimento está relacionamento, principalmente, ao histórico familiar.

Apesar do incômodo físico que muita gente sente com uma cicatriz, este não é o único efeito de uma marca pelo corpo. Na verdade, são vários os casos em que o paciente desenvolve depressão, traumas psicológicos ou sofre bullying. Ou seja, o cuidado e prevenção deste tipo de marca vai bem além da preocupação estética: ele pode ter efeitos para o bem-estar do indivíduo.

É por isso que, ano após ano, uma série de novas soluções aparecem no mercado. Especialmente em forma de pomadas que cicatrizam a pele e disfarçam as cicatrizes. Mas o que muita gente não sabe é a que uma “simples” fita de silicone pode ter ótimos efeitos para o visual após uma cirurgia ou acidente.

Tipos de fita de silicone

As razões da eficácia da fita de silicone para cicatrização são as mais diversas, como explicaremos logo mais. Antes de tudo, porém, é importante dizer que existem dois modelos básicos deste tipo de fita no mercado. Primeiro, o reutilizável, que deve ser mantido sobre a cicatriz por até 24 horas. Após esse período, a fita precisa ser lavada, seca e utilizada novamente.

Já o material descartável é mais comum, além de ser considerado mais higiênico. Para utilizá-lo, é indicado que o paciente mantenha a fita sobre a pele por tempo entre 12 e 24 horas. Assim, há maior segurança de que a pele se manterá limpa e aproveitados dos benefícios do silicone.

Vale também dizer que os efeitos da fita de silicone não são “milagrosos”. Na verdade, o produto só atua na epiderme, a camada superior da pele. Logo, cicatrizes já estabelecidas precisam de tratamento mais incisivo, como por meio de pomadas específicas e intervenções estéticas.

Em qualquer dos casos, é importante, primeiro, visitar o dermatologista. O especialista saberá indicar o produto ou intervenção ideal para a melhora das marcas na pele. Depois, a fita de silicone poderá servir como uma aliada para a melhora dos resultados na cicatriz.

Como uma cicatriz se forma?

Quando a pele sofre alguma lesão, por um corte, queimadura ou cirurgia, suas células trabalham para recompô-la. Para isso, o corpo utiliza dos nutrientes garantidos pela circulação sanguínea da derme, produzindo novas células e colágeno suficiente para a reposição do que foi marcado.

O processo é lento, mas pode ser potencializado por pomadas específicas. Para pequenos acidentes, por exemplo, o sulfato de neomicina é um das mais utilizadas, tendo alto poder de cicatrização.

Para garantir a cicatrização da pele, também é importante protegê-la. Deixar a derme em contato direto com o ar torna-a vulnerável a sujidades e a microorganismos, com um processo ainda mais lendo. Dependendo do tamanho do corte, essas situações podem levar até a uma infecção.

É por isso que os médicos indicam a utilização de uma fita de proteção. Além, é claro, do fato de uma fita manter a pomada ou outro remédio em contato maior com a pele. Sem uma fita, é bem provável que você tirasse o produto “sem querer”, não é mesmo? Seja ao encostar em algum lugar, por deixar a pele em contato direto com as roupas ou outros.

Como a fita de silicone atua na cicatrização?

Normalmente, as novas células da pele se desenvolvem no ritmo adequado, criando uma nova camada muito semelhante à anterior. Nesses casos, a cicatriz costuma ser mais leve, apenas uma mancha na pele, que sumirá com o tempo e um pouco mais de cuidado.

Há casos, porém, em que essa cicatrização é um pouco mais desordenada. É o que ocorre, por exemplo, nos pacientes que possuem tendência à formação de queloides, como já citado.

Outra situação ocorre quando a fita utilizada promove essa formação desordenada de células. Acontece assim: para cicatrizar, a derme precisa de uma quantidade razoável de água. Algumas fitas podem prejudicar a retenção dessa água, tornando a superfície da pele desidratada.

Buscando suprir o problema, os queratinócitos da pele começam a produzir citocinas. Em seguida, os fibroblastos passam a gerar quantidades excessivas de colágeno, que, por sua vez, vai ajudar na retenção de água.

O ponto é que o excesso de colágeno na pele desenvolve uma cicatriz, em vez de uma camada mais uniforme na derme.

Assim, um dos primeiros efeitos da fita de silicone para a cicatriz é que ela ajuda a pele a reter apenas a quantidade ideal de líquido. Nem água demais, nem água de menos. Assim, a quantidade produzida de colágeno é mantida em sua normalidade, tornando o resultado da cicatrização mais uniforme.

Outras formas de ação da fita de silicone para cicatriz

Estudos indicam que a melhora na hidratação da pele não é a única razão pela qual as fitas de silicone auxiliam na cicatrização. Especialistas relatam, por exemplo, que o material inibe o corpo de aumentar os capilares da pele. O problema ocorre por meio da hiperemia, que é o aumento do fluxo sanguíneo para a região em que o processo de cicatrização está em curso.

Quando a hiperemia acontece, o processo de cicatrização da pele se torna mais intenso, exagerado. O resultado é que a aparência da cicatriz fica mais marcado, gerando um aspecto pouco atrativo ao paciente. A fita de silicone inibe todo esse processo, tornando as propriedades estéticas da cicatriz mais brandas.

Além disso, acredita-se que a fita de silicone age “absorvendo” parte da tensão das bordas laterais da ferida em cicatrização. Como a pressão diminui, o ambiente criado é mais favorável ao desenvolvimento adequado das células e à formação de uma cicatriz mais leve e uniforme.

Ainda é preciso destacar a teoria de que um campo elétrico estático é criado pela fita de silicone. Esse campo é carregado negativamente por meio do atrito entre a fita e a pele. Então, há maior alinhamento das células de colágeno na derme, o que proporciona a melhora no visual das cicatrizes.

Todos os estudos continuam em curso, para estabelecerem as razões definitivas do bom efeito da fita de silicone para a cicatrização.

Em todo o caso, vale lembrar que a fita não atua sozinha. Para a cicatrização da pele, é sempre importante utilizar a pomada cicatrizante indicada pelo médico. Especialmente após cirurgias e queimaduras, em que os danos à derme são maiores. Assim, a prevenção à formação de cicatrizes será bem mais eficaz.

Como usar fita de silicone para cicatriz?

Agora que você já sabe como a fita de silicone funciona na cicatrização, deve estar se perguntando quais as regras para utilizá-la. Bom, as recomendações são bastante simples, e podem se tornar um cuidado diário até a cura completa da marca.

Para utilizar a fita de silicone, basta cortar o pedaço necessário para a cobertura completa da cicatriz. Existem diferentes tamanhos de fita no mercado (em relação à largura), e o ideal é adquirir aquela que protege toda a região com uma só faixa.

Depois de cortar a fita, você deverá retirar o plástico que a envolve. Em seguida, basta aplicá-la na pele limpa e seca. Se houver a recomendação médica por uma pomada, limpe a pele, aplique o produto conforme indicado na embalagem, e só então posicione a fita sobre a pele.

O ideal é utilizar a fita de silicone por um período entre 12 e 24 horas. Passado este prazo, o item deve ser arrancado com todo o cuidado, e jogado fora. A pele precisará ser limpa e seca, e logo receber uma nova fita. É importante que a derme seja tratada de modo contínuo, para que o corpo se acostume ao estímulo da fita e com a uniformidade proposta à cicatriz.

Para adquirir uma fita de silicone e outros produtos pós-cirúrgicos, você pode acessar à loja virtual da YOGA. No portal, são várias as faixas, modeladores, coletes, braceletes e outros acessórios, que podem acelerar o processo de recuperação do corpo. Principalmente: garantindo a cicatrização correta e uniforme da pele.

Viu só como usar uma fita de silicone para cicatriz pode ser interessante? Lembre-se de conversar com o seu médico e avaliar qual tratamento será associado a ela para o cuidado com a sua pele. Assim, os resultados serão muito mais seguros e atraentes.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

×