Pós Operatório Silicone: Banho, Dor, Inchaço e Cuidados!

Assim como em qualquer cirurgia, o pós-operatório para silicone é fundamental para um bom resultado. Afinal, além de serem realizados cortes, o organismo recebe um “corpo estranho” ao qual terá que se adaptar. Por isso, é necessário mais do que escolher um bom cirurgião e tomar cuidados antes da cirurgia. É fundamental ter atenção ao pós, inclusive com o uso de sutiãs pós-cirúrgicos.

Neste texto, vamos apresentar os diversos aspectos da cirurgia para colocação de silicone. Chamado de mamoplastia, o procedimento é um dos preferidos no Brasil. Segundo dados da Cirurgia Plástica (SBCP), apenas em 2016 quase 290 mil cirurgias desse tipo foram realizadas no País.

Quem faz mamoplastia?

Os motivos que levam à procura da mamoplastia são diversos. O primeiro é a autoestima, baixa devido ao pouco tamanho dos seios naturais. Considerando principalmente padrões de beleza das mídias, como a televisão, mulheres com mamas maiores são tomadas como as mais bonitas.

Essa visão pode prejudicar a percepção da mulher sobre o próprio corpo, e assim criar quase a necessidade de atingir o padrão. O aumento dos seios, então, pode funcionar muito bem para melhorar a autoestima do indivíduo.

Quando não se sente bem com o próprio corpo, a mulher também pode acabar prejudicada em outras áreas da vida. O convívio social, sua sexualidade, e até a saúde, uma vez que o bem-estar mental afeta o organismo como um todo.

Pessoas que perdem peso também acabam tendo seu volume de mamas diminuído. Nesse caso, a mamoplastia pode ser a solução para manter os seios como o desejado. Na pós-gravidez, por outro lado, é comum que as mamas “caiam” levemente. Aqui, será necessário utilizar mais do que a prótese de silicone. Com as mamas flácidas devido à amamentação, costuma ser preciso realizar uma mastopexia. A cirurgia consiste no levantamento dos seios por meio da retirada de pele. Só depois é utilizada a prótese mamária.

Use o cupom SUTIASILICONE10 para ganhar 10% de desconto!

R$150.00

5x de R$30.00

ou R$142.50 à vista no boleto

R$150.00

5x de R$30.00

ou R$142.50 à vista no boleto

R$141.00

5x de R$28.20

ou R$133.95 à vista no boleto

R$141.00

5x de R$28.20

ou R$133.95 à vista no boleto

CLICK AQUI E VEJA MAIS SUTIÃS PÓS CIRÚRGICOS

A mamoplastia

Dessa forma, a mamoplastia é uma operação que aumenta os seios. Para isso, são utilizadas próteses de silicone, com tamanhos os mais variados. O tamanho da prótese deve ser escolhido por paciente e médico, juntos. Isso porque as próteses não têm resultados iguais para diferentes mulheres. É necessário avaliar o porte físico de casa uma, e escolher a quantidade de mililitros que vai deixar um resultado natural.

O mais correto é que a prótese de silicone só seja implantada após a adolescência. É nessa época que a mulher tem suas mamas desenvolvidas, graças ao processo hormonal que se desenvolve na puberdade. A cirurgia pode, de qualquer forma, ser realizada antes do período indicado. No entanto, será necessário contar com a autorização dos pais ou responsáveis da adolescente.

Como é feita a mamoplastia?

A cirurgia plástica para colocação de silicone nos seios é uma operação ambulatorial. Isso significa que a paciente, poucas horas após o procedimento, pode ir para a casa. Sem a necessidade de internação. Basta apenas manter alguns cuidados, como diminuir a intensidade de movimentos do tronco.

Uma prótese de silicone pode ser posicionada de duas formas: por cima, ou por baixo do músculo peitoral. A escolha pelo tipo de procedimento vai ser feita pelo médico, de acordo com o tipo de prótese e físico da paciente.

Quando a prótese é inserida por cima do músculo, ela é chamada de subglandular. A técnica é indicada principalmente para mulheres que já possuam certo volume de mamas, mas ainda assim desejam aumenta-las. Isso acontece principalmente com o objetivo de obter seios mais rígidos.

Com próteses subglandulares, a mulher costuma obter um busto mais visível, mais “marcado”. Isso uma vez que as mamas são posicionadas de maneira bem próxima, criando um “decote” natural. O pós-operatório, nesse caso, é mais rápido e com menos dor.

Já o silicone inserido por baixo do músculo é conhecido como submuscular. Na técnica, é possível aderir o método completamente submuscular e a de Dual Plane, em que apenas metade da prótese fica abaixo do músculo.

No primeiro caso, o silicone completamente abaixo do músculo é indicado para pacientes com seio quase nenhum. O resultado com a técnica é também mais natural, pois não fica tão “marcado”. Ou seja, dificilmente será possível perceber que a mulher realizou uma operação.

A técnica Dual Plane, por outro lado, insere o silicone abaixo do músculo apenas na porção superior dos seios. Assim, o resultado tende a ficar mais uniforme, com seios mais redondos. O realce da parte de cima das mamas é incrível! Apesar do visual, porém, a recuperação com o plano duplo requer mais tempo. Tende, ainda, a ser pouco mais dolorida.

Tipos de prótese de silicone

Os tipos de prótese de silicone variam de acordo com seu formato. A prótese cônica, por exemplo, é a que possui uma base pequena e maior projeção. Quer dizer, o “molde” é mais pontudo, podendo resultar num busto mais avantajado.

Ainda assim, o resultado pode ser discreto, desde que seja adotado tamanho pequeno ou médio do produto. Também conhecida como “Silicone Perfil Super Alto”, essa prótese é indicada especialmente para quem possui seios pequenos e tórax estreito.

Próteses redondas, por outro lado, tem como principal função preencher a parte superior da mama. Com ela, os seios ficam bastante destacados na parte superior, criando um belo decote. Ela é interessante para quem já possui mamas volumosas, mas deseja dar uma “levantada” no visual.

Mulheres que optam pelo silicone de Perfil Baixo e Moderado obtém maior diâmetro. Isso quer dizer que os seios parecem mais “largos”, mas não tão avantajados. Nesse caso, o colo acaba por ficar um pouco “apagado”, e por isso as próteses não são tão utilizadas.

Finalmente, há a prótese anatômica, também chamada de “Silicone Formato Gota”. As peças desse tipo têm a maior parte do seu volume na parte inferior da prótese. Isso cria uma aparência maior das mamas, mas mantendo o contorno natural do busto. Como é pouco volumosa, a gota é mais comumente utilizada em cirurgias para reconstrução da mama. Como no caso de mulheres que tiveram câncer de mama.

De qualquer forma, a opção mais escolhida pelas mulheres é a do “Silicone Perfil Super Alto”. Afinal, é ela quem oferece seios mais avantajados.

Riscos da implantação de silicone

Na hora de implantar uma prótese de silicone, independentemente de seu tipo, é fundamental contar com um médico de confiança. Ao se decidir pelo aumento das mamas, busque um especialista no assunto, que tenha boas referências e o devido credenciamento para atuação na operação plástica.

Esse cuidado é importante por vários aspectos. Primeiro, claro, pelo resultado do procedimento. Quando busca a operação, a mulher sempre deseja um visual atraente. Inclusive sem marcas ou cicatrizes além do que é considerado normal.

Além disso, o especialista adequado vai garantir sua saúde. Ele deverá analisar cada aspecto do seu bem-estar, inclusive em relação aos riscos da operação. Até porque, como toda e qualquer cirurgia, a implantação de silicone tem riscos intrínsecos.

Após o procedimento, também podem ocorrer problemas. As próteses podem, por exemplo, se romper. Apesar de muito rara, a ocorrência vai demandar a troca do silicone. Afinal, será fundamental evitar que ele se espalhe pela mama.

Outro “perigo” existente é que ocorra rejeição à prótese de silicone. O problema é igualmente muito raro, mas pode ocorrer porque o silicone é um corpo estranho sintético.

Problemas em relação à amamentação também são bem difíceis de ocorrer. Esse receio é comum: de que o silicone influencie na capacidade da mulher em ter filhos. No entanto, para que ocorra dificuldade de amamentação, é preciso que ocorram lesões nos ductos que conduzem o leite até o mamilo. Como a prótese nada influencia nessa estrutura, não há perigo expresso.

Pós-operatório do silicone

O tempo necessário para o pós-operatório de silicone varia muito. Varia de acordo com a paciente, com o tipo de cirurgia realizada, a prótese utilizada, o corpo da mulher e suas condições físicas e de saúde.

Para todas as que se submetem ao procedimento, porém, há cuidados básicos necessários no pós-operatórios. Cuidados que vão melhorar o resultado de implantação da prótese, e também evitar que problemas ou infecções ocorram. Afinal, apesar de raras, as complicações são sempre possíveis.

Por esse motivo, é fundamental seguir as orientações médicas. Como vai realizar exames pré-cirúrgicos, o especialista vai conhecer exatamente o que seu corpo precisa para se recuperar rapidamente. O primeiro cuidado indicado deve ser tomado em relação à movimentação dos braços. Os membros são os localizados mais próximos do busto e das cicatrizes da operação. Por isso, qualquer movimentação pode afetar a cicatrização. Pode causar, além disso, sensação de dor e incômodo.

Isso não significa, porém, que a paciente pós-operada deve fazer repouso absoluto do corpo. Se permanece completamente imóvel, a mulher fica sujeita a complicações. Como a embolia pulmonar e a trombose. Assim, é essencial realizar atividades físicas moderadas, como a simples locomoção dentro de casa. Basta apenas ter atenção em não levantar os braços, ou em fazer esforços com a região operada.

O retorno à academia deve ser feito de forma gradual, de acordo com a indicação médica. Geralmente, as caminhadas de intensidade entre leve e média são indicadas a partir de 3 semanas. Já atividades como agachamentos e exercícios para as pernas podem ser realizadas após 6 semanas.

Use o cupom SUTIASILICONE10 para ganhar 10% de desconto!

R$150.00

5x de R$30.00

ou R$142.50 à vista no boleto

R$150.00

5x de R$30.00

ou R$142.50 à vista no boleto

R$141.00

5x de R$28.20

ou R$133.95 à vista no boleto

R$141.00

5x de R$28.20

ou R$133.95 à vista no boleto

CLICK AQUI E VEJA MAIS SUTIÃS PÓS CIRÚRGICOS

Atenção aos curativos!

Durante a cicatrização, são utilizados curativos específicos para esse tipo de cirurgia. O material é poroso, elástico e modelante, adaptados para cada tipo de mama. Caraterísticas que, obviamente, oferecem mais conforto ao pós-operatório do silicone. Os curativos devem ser trocados todos os dias, sendo que a partir do 3º dia a própria paciente pode fazê-lo. Os pontos da cirurgia normalmente são retirados após 8 dias do procedimento.

Durante o período de cicatrização, é preciso tomar dois outros cuidados. Primeiro, o de evitar molhar o curativo. Apenas após alguns dias é indicado fazê-lo. Ademais, é fundamental não se expor ao calor ou friagem excessivo, pois as temperaturas extremas podem causar feridas na pele e outros problemas.

Importante ainda dormir de barriga para cima, por pelo menos 45 dias. Do contrário, o “apertar” dos seios poderá deformar a cicatrização.

Importância da drenagem linfática no pós-operatório

Destaca-se ainda a atenção necessária ao inchaço do colo. O inchaço pós-operatório é algo normal, e costuma aparecer alguns dias após o procedimento. Ele acontece porque há grande retenção de líquido no busto. Dessa forma, costuma ser indicado que a paciente se submeta a uma drenagem linfática no pós-cirúrgico. A necessidade será avaliada pelo médico, de acordo com o volume de inchaço.

A drenagem linfática é um processo no qual o excesso de líquido é extraído do corpo. Ele é muito utilizado, por exemplo, para “murchar” o abdômen. Afinal de contas, o acúmulo de líquido costuma ser muitas vezes o responsável pela barriga mais proeminente. No processo, o corpo recebe massagem, e assim direciona o líquido e toxinas para a urina, pela qual serão eliminados. O massageamento também previne a formação de hematomas na pele.

Por fim, a alimentação. É muito importante que no pós-operatório para silicone a mulher invista numa dieta balanceada. No primeiro dia pós-procedimento, é indicada uma alimentação mais leve, inclusive com sopas, chás e gelatina. Depois, é preciso fazer o consumo de frutas, verduras e legumes. Principalmente os ricos em vitaminas e ferro. De qualquer modo, é interessante evitar alimentos que provoquem gases, como o alho e feijão.

Como as próteses são implantadas?

Próteses de silicone podem ser implantadas de três formas principais. Há, por exemplo, a implantação por meio do sulco infra mamário, que é a “dobra natural” embaixo dos seios. Já a implantação axilar é realizada por meio da dobra das axilas. Enquanto a cirurgia Peri areolar é feita ao redor da aréola. As mais utilizadas são as duas primeiras, pois deixam cicatrizes bem disfarçadas. Isso porque há “dobras” naturais que vão esconder as marcas de cortes.

Os processos de cicatrização de cada cirurgia passam, inevitavelmente, por alguns estágios. Começando pelo período imediato, que vai até o 30º dia pós-cirurgia. Nele, a cicatriz é pouco mais visível, ou pode apresentar uma leve reação ao curativo e pontos.

Em seguida, vem o período mediato de cicatrização. Estendido até o 12º mês do pós-operatório para silicone, o intervalo promove o espessamento natural da cicatriz. Nessa etapa, a marca mais escura começa a clarear, se tornando menos perceptível.

Finalmente, no período tardio acontece a definição do aspecto final da cicatriz. O processo acontece entre 12º ao 18º mês após a cirurgia. Nele, a marca perde pouco mais de cor, e se torna menos consistente. Logo, o resultado é de uma cicatrização quase imperceptível.

Visando melhorar esse processo de cicatrização, o médico pode indicar uma série de medidas. Como a utilização de pomada cicatrizante, que poderá melhorar o aspecto final da marca. Nenhum acessório, no entanto, é tão importante e utilizado quanto o sutiã pós-operatório Yoga!

Sutiã pós-operatório Yoga

Sutiãs pós-operatórios Yoga são muito semelhantes a roupas íntimas comuns. No entanto, são fabricados com tecidos elásticos e porosos, que oferecem uma série de benefícios. Como a compressão da mama, fundamental para o belo resultado da cirurgia.

Um sutiã pós-operatório deve ser utilizado por, no mínimo, 60 dias após a cirurgia. Graças ao tecido compressivo, a mulher tem seus seios “pressionados”. Com conforto, e sem apertar. Essa compressão é essencial ao correto posicionamento das mamas, uma vez que o corpo deverá se adaptar ao novo “formato”.

Funciona assim: após inserir sua prótese de silicone, a mulher tem uma espécie de ferida interna na mama. Principalmente porque um “corpo estranho”, que é a prótese, está mudando a configuração normal do busto. O tecido elástico do sutiã, então, mantém os seios comprimidos. Isso garante que a pele será “pressionada” contra o corpo, de modo que seja “colada” novamente. A “colagem” é parte fundamental da cicatrização. Do contrário, as mamas poderão ficar flácidas.

Como oferece apoio ao busto, o sutiã também evita movimentos exagerados da região. O repouso é parte importante da recuperação, e o acessório vai impedir situações como o sangramento da ferida. Além disso, o tecido da peça consegue absorver parte do impacto provocado pelo movimento. O resultado é uma quantidade ainda menor de atrito no colo. O que, aliás, diminui a dor pós-operatória.

Para mais, essa quase imobilização dá mais segurança à mulher. Imagine passar por uma cirurgia, e ter receio de realizar qualquer movimento. Quando percebe que seu busto está seguro, a mulher se sente mais à vontade para se locomover e realizar as atividades do dia a dia. Claro, sem movimentar demasiadamente os braços, uma vez que isso pode prejudicar os pontos e a cicatrização.

Use o cupom SUTIASILICONE10 para ganhar 10% de desconto!

R$150.00

5x de R$30.00

ou R$142.50 à vista no boleto

R$150.00

5x de R$30.00

ou R$142.50 à vista no boleto

R$141.00

5x de R$28.20

ou R$133.95 à vista no boleto

R$141.00

5x de R$28.20

ou R$133.95 à vista no boleto

CLICK AQUI E VEJA MAIS SUTIÃS PÓS CIRÚRGICOS

A beleza garantida pela cinta

As faixas ainda mantêm as mamas bem posicionados. Isso significa que os seios serão colocados em sua posição adequada, baixos o suficiente, e altos o suficiente. O resultado é natural e garante uma aparência muito mais agradável.

Outra ação do tecido flexível do sutiã é a ativação da renovação das células. Isso acontece porque a compressão da pele melhora sua circulação sanguínea. O sangue é o responsável por levar a todas as células do corpo nutrientes e o oxigênio. Ou seja, as substâncias necessárias para funcionamento e renovação de todo o organismo.

Com mais sangue no busto, as células recebem maior quantidade de nutrientes para se renovarem. Logo, podem se renovar mais facilmente. O que melhora, inclusive, a cicatrização do corte realizado para inserção da prótese de silicone.

Essa mesma compressão consegue diminuir a quantidade de estrias e celulites. Tanto pela melhora da circulação do sangue, quanto pela potencialização da drenagem linfática natural do corpo. A drenagem está diretamente ligada à circulação sanguínea, e libera do corpo toxinas e líquido acumulados. Inclusive os que surgem após a cirurgia plástica, uma vez que há toxina e células mortas a serem eliminadas. O acúmulo dessas substâncias é o que gera as celulites.

Além disso, a leve pressão oferecida pelo sutiã pós-operatório Yoga garante massagem contínua ao corpo da mulher. Essa massagem auxilia muito o bem-estar da paciente, promovendo relaxamento do corpo.

Perigos de não usar o sutiã

Se a mulher não utiliza o sutiã pós-operatório para silicone, alguns problemas podem ocorrer. Como o deslocamento da prótese, que vai resultar num busto um pouco “torto”. O visual não é agradável, e dificilmente é o esperado pela paciente. Como as próteses ficam mais altas após colocadas, o sutiã também é fundamental para posicioná-las adequadamente.

Sem o sutiã específico, há também maior chance de ocorreram sangramentos e seromas. O seroma é o acúmulo de líquido embaixo da pele, algo que pode acontecer em qualquer tipo de cirurgia. A complicação deixa a área cicatrizada mais alta que o normal, e o líquido precisa ser retirado por um especialista.

A dor também costuma ser mais intensa quando o modelador não é utilizado. Afinal, as mamas não possuirão suporte, ou um “absorvedor” de impactos.

Sutiã pós-operatório Yoga: modelos

Para se adaptar a cada mulher, a Yoga, oferece os mais variados modelos de sutiãs pós-operatório para silicone. Existem, por exemplo, as peças que oferecem maior cobertura dos seios. Elas são as mais indicadas para grandes próteses, que inicialmente demandam maior apoio. Além desses, porém, há peças que oferecem um belo decote. Elas permitem desfrutar dos “seios novos” antes mesmo do fim da cicatrização!

Para a mulher que desejar trabalhar todo o corpo no pós-cirúrgico, há peças como o modelador de corpo inteiro. O modelador, além de sustentar o busto, trabalha todo o abdômen. E as pernas, caso o tecido as envolva.

Nesse caso, o efeito acontece porque o tecido modelador tem o poder de afinar a silhueta. Isso uma vez que o material consegue deslocar as células de gordura de um ponto ao outro.

O modelador funciona como um molde, uma fôrma. Oferecendo à silhueta algo a que se adaptar, ele muda de lugar as células de gordura acumulada. O efeito instantâneo é a definição da silhueta, que fica muito mais bonita com uma roupa justa.

Após retirar a cinta, as células acabam por voltar ao lugar. Com o uso contínuo, porém, o resultado é permanente. Ou seja, o visual se torna mais curvilíneo e bonito.

Deste modo, basta apenas escolher a peça que mais se adequa ao seu objetivo e corpo, e aproveitar todos os benefícios que a Yoga tem a oferecer!

Use o cupom SUTIASILICONE10 para ganhar 10% de desconto!

R$150.00

5x de R$30.00

ou R$142.50 à vista no boleto

R$150.00

5x de R$30.00

ou R$142.50 à vista no boleto

R$141.00

5x de R$28.20

ou R$133.95 à vista no boleto

R$141.00

5x de R$28.20

ou R$133.95 à vista no boleto

CLICK AQUI E VEJA MAIS SUTIÃS PÓS CIRÚRGICOS

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *