Cinta pós cirurgica abdominoplastia

A cinta para a abdominoplastia é algo fundamental na recuperação do corpo após a cirurgia plástica. Muito comum atualmente, a operação garante uma silhueta mais bonita e definida. Mas você sabe exatamente como cinta e abdominoplastia estão ligadas? Contamos tudo nesse texto, confira!Ver mais

A abdominoplastia

O excesso de gordura na região do abdômen é algo que incomoda muita gente. A barriga adquire um aspecto inchado, com “pneuzinhos”, e nenhuma roupa parece ficar boa. Ir à praia, então, torna-se um problema enorme, enfrentado por homens e mulheres. Assim, é agradável podermos dizer que há soluções oferecidas pela a cirurgia plástica, como a abdominoplastia.

A abdominoplastia é uma cirurgia que consegue retirar a gordura da região abdominal. Quem possui pele “sobrando” nessa área também pode contar com os benefícios do procedimento. Esse é o caso, por exemplo, de pessoas que perderam muito peso, quando o corpo não possui sozinho a capacidade de retrair a pele. Assim como mulheres que passaram por uma gravidez, uma vez que a pele da barriga se expande ao longo do crescimento do feto - por vezes, o resultado pós-gestação é uma pele flácida.

Na cirurgia, gordura e pele são retiradas na região abaixo do umbigo. Ou seja, no mesmo local em que é realizada uma cesariana na mulher grávida. Assim, a cicatriz da operação fica sempre escondida sob as roupas, mesmo durante uso de um biquíni ou sunga.

Além disso, estrias também podem ser tratadas pela técnica. Não utilizada apenas com este objetivo, mas como consequência da cirurgia. O benefício ocorre porque as marcas ficam sobre a pele, e ao retirar o excesso desse tecido, elas acabam sendo retiradas junto.

Restrições à cirurgia

Apesar dos incríveis benefícios do procedimento, ele não é indicado para todos. Mulheres que ainda não tiveram filhos, por exemplo, não tem na cirurgia sua melhor opção. Afinal, a abdominoplastia retira parte da pele. Numa eventual gravidez após a operação, o tecido epitelial vai se esticar de forma diferente, e o pós-gestação pode prejudicar bastante o efeito visual da pele.

Outras que não devem realizar a plástica são as mulheres que acabaram de dar à luz. Especialistas indicam que elas aguardem ao menos um ano pós-parto para procurar um cirurgião, pois nesse período o corpo já terá voltado completamente ao normal. A operação realizada antes deste período pode acabar por retirar pele e gordura próprias do corpo e necessárias para sua manutenção. Em casos de excesso de gordura, como a obesidade, a plástica pode da mesma forma não ser a ideal.

Por motivos assim, o médico especialista realiza a avaliação de cada quadro separadamente. Há casos em que outras operações são mais interessantes, como a lipoaspiração. Em outras situações, a abdominoplastia pode ainda ser associada à Lipo, oferecendo resultados mais bonitos.

É fundamental destacar que o objetivo da abdominoplastia não é a perda de peso. Erroneamente, muitos pacientes buscam a prática para perder números na balança. No entanto, a diminuição do peso corporal só é possível com mudanças na alimentação e a realização de exercícios físicos. A retirada de gordura e pele costuma modificar apenas pequenos números na balança.

Passo a passo da cirurgia

A primeira etapa da cirurgia de abdominoplastia é a definição exata do que o paciente deseja que seja modificado, e o que é realmente possível. Não é incomum que, ao procurar um cirurgião, o indivíduo deseje cirurgias enormes, por quase todo o tronco. No entanto, o procedimento atende apenas ao abdômen, ou seja, a região da barriga.

É igualmente necessário realizar exames pré-operatórios, que vão verificar as condições de saúde do paciente. Isso garante que a plástica não vai afetar outras áreas do corpo, nem que será prejudicada por um contratempo. Costuma também ser necessário realizar jejum de pelo menos oito horas antes da cirurgia.

Com as pretensões bem definidas, o médico então realiza incisão em forma de semicírculo na região pubiana do paciente, como é feito numa cesárea. O tamanho da incisão depende do contorno do corpo do indivíduo, assim como do objetivo da plástica.

Em seguida, pele e a camada de gordura sob ela são separados, a gordura localizada é retirada e a pele esticada e reduzida, de modo a criar um abdômen reto. Para evitar que haja acúmulo de líquidos na barriga durante o processo de recuperação do corpo, o paciente recebe drenos na região. Os drenos permanecem no corpo por pelo menos duas semanas. A técnica e o repouso melhoram o resultado visual da operação. Em média, todo o procedimento cirúrgico tem duração de três horas.

Cinta para abdominoplastia: por que usar?

Mais do que uma cirurgia bem-feita e o repouso, no pós-cirúrgico é fundamental que o paciente utilize uma cinta para abdominoplastia. A peça compressora é indicada para uso por pelo menos quarenta e cinco dias pós-cirurgia, de forma contínua. O indivíduo deve retirá-la apenas no momento do banho.

De qualquer modo, é importante ter cuidado com a limpeza da peça, lavando-a algumas vezes por semana. Do contrário, o suor acumulado no acessório pode prejudicar a cicatrização do corte feito para a plástica.

Na hora de escolher a cinta ideal, é essencial adquirir a de tamanho correto ao seu corpo. Nunca utilize um acessório de tamanho menor! A cinta modeladora deve comprimir, nunca apertar.

Assim, é interessante verificar se, ao vestir a peça, ela deixou marcas de aperto na pele. Se isso ocorrer, o acessório deverá ser trocado ou levemente afrouxado em seu fechamento. Senão, problemas como o atrofiamento de músculos ou dificuldade na respiração podem ocorrer. Considerando a abdominoplastia, a pele pode se dobrar, provocando um resultado bem aquém do esperado com a plástica.

A cinta para abdominoplastia, então, tem efeito modelador. Ela funciona como uma fôrma ao corpo, e define a silhueta ideal. Deste modo, o tecido elástico da peça pressiona a pele e mantêm-na posicionada de modo a delinear belas curvas. Após a realização da plástica, a pele precisa muito desse molde, pois tem que se readaptar. Se esse apoio não existe, ela vai permanecer frouxa e com aparência “torta”.

Ademais, se não há essa pressão constante no período de recuperação, cria-se sob a pele um vácuo. Nesse espaço, líquidos podem se acumular, o que dificulta a cicatrização. A fixação do tecido em seu novo “molde” fica igualmente comprometida, podendo provocar aspecto flácido da região do abdômen.

Outros benefícios da cinta

A cinta para abdominoplastia oferece também sustentação ao corpo. Assim como em qualquer pós-cirúrgico, o ideal é que a área operada não sofra grandes impactos. Caso contrário, podem surgir marcas, como hematomas, e cicatrizes mal fechadas. Outra possibilidade é o rompimento dos pontos da cirurgia, sendo necessária nova operação para retoque do abdômen.

Assim, ao oferecer apoio à região abdominal, a cinta acaba por absorver parte dos impactos do dia a dia. Além disso, ela limita a realização de movimentos bruscos, evitando abalos maiores.

O acessório também promove a melhora da circulação sanguínea. É por meio dessa circulação que as células recebem o oxigênio e os nutrientes necessários para seu funcionamento, tal qual para sua renovação. Assim, a cinta acelera o processo de cicatrização da incisão. Melhora também o resultado dessa cicatrização, criando linha de cor mais leve e pouco perceptível. A circulação do sangue evita também a criação de estrias, algo possível após uma plástica. O fluxo também está ligado à drenagem linfática, que elimina do corpo toxinas e parte da gordura localizada. Deste modo, o volume de células adiposas torna-se ainda menor no abdômen.

Associado ao uso de um modelador, é interessante ainda que o paciente realize sessões de drenagem linfática. Mais “potente” que a cinta nesse aspecto, a drenagem é feita por meio de massagens localizadas, executadas por massoterapeutas, fisioterapeutas, esteticistas e outros profissionais.

Geralmente, o indivíduo que passa por uma plástica abdominal pode retornar às suas atividades após duas semanas. Movimentos mais bruscos ou o carregamento de peso, no entanto, só deve ocorrer após período indicado pelo médico. Esse período será determinado de acordo com o processo de recuperação do sujeito.

Que cinta utilizar?

A Yoga possui uma série de modelos para uso pós-abdominoplastia. Todos eles, é claro, precisam abranger a região do abdômen, e envolver também a região da pélvis. Afinal, a cicatriz da cirurgia fica localizada nessa área. Além disso, todo acessório para o abdômen acaba por envolver também a lombar, ou seja, o fim das costas. Essa é uma vantagem extra, pois a peça assim oferece sustentação à coluna, garantindo boa postura.

Dessa forma, é interessante utilizar, por exemplo, a cinta com pernas, que envolve tanto o abdômen, quanto as coxas. A sensação de segurança costuma ser maior para muitos dos pacientes. Outra alternativa é a cinta sem pernas, muito semelhante a uma calcinha de cintura alta. O acessório deste tipo está disponível para homens e mulheres.

Há também a opção pelo modelador de corpo inteiro, que além de auxiliar na recuperação do abdômen, vai trabalhar pernas, tronco e busto. Isso significa que os benefícios de modelação das curvas são estendidos por todas essas regiões, assim como a melhora da circulação do sangue. Além disso, toda a área envolvida pela cinta conta com leve massagem, promovida pelo tecido elástico da peça.

Para uso associado à cinta, existem ainda as placas de contenção. O acessório é uma placa de ferro revestida de espuma, que garante a contenção maior da região abdominal. Ela não permite que o modelador crie rugas ou se dobre com a movimentação diária, ou seja, garante um molde permanente à barriga. O acessório ajuda também na diminuição de edemas e hematomas. Todos esses efeitos garantem uma recuperação mais rápida e bonita visualmente.

R$256.00

5x de R$51.20

R$160.00

5x de R$32.00

R$299.00

5x de R$59.80

R$302.00

5x de R$60.40

R$467.00

5x de R$93.40

R$467.00

5x de R$93.40

R$476.00

5x de R$95.20

R$418.00

5x de R$83.60

R$467.00

5x de R$93.40

R$418.00

5x de R$83.60

R$467.00

5x de R$93.40

R$404.00

5x de R$80.80


Vantagens Yoga
Todas as peças Yoga possuem vantagens incríveis ao bem-estar do corpo. A primeira delas é o conforto: as cintas não apertam, e garantem flexibilidade e liberdade de movimentos na quantidade certa.

Fora essa característica, é interessante destacar que todos os acessórios possuem tecido poroso. Ou seja, cheias de pequenos “furinhos”, as peças garantem a livre respiração da pele. Isso evita que a cinta esquente, faça coçar ou provoque alergias.

As peças Yoga têm também aprovação da Anvisa (Agência Nacional de Vigilância Sanitária). O órgão é o responsável por atestar a segurança de uso de qualquer produto, e sua aprovação evidencia os efeitos e o cuidado com a saúde promovidos pelos acessórios.

Cuidados especiais
No pós-cirúrgico da abdominoplastia, é importante ainda fazer a utilização de remédios analgésicos. Os medicamentos serão prescritos pelo médico, e devem ser consumidos na dosagem e pelo tempo indicado. As substâncias diminuem a dor sentida no abdômen.

Para evitar a intensificação dos quadros de dor, o especialista costuma também indicar o consumo maior de fibras. Isso pode ser feito por meio de suplementos e, principalmente, com a alimentação correta. Assim, alimentos integrais, cereais, legumes e verduras devem ser priorizados durante as refeições.

É igualmente interessante realizar o consumo contínuo de água. Ao mesmo tempo, é fundamental evitar o consumo de alimentos industrializados ou ricos em gordura. Todas essas medidas vão facilitar a evacuação, evitando que o abdômen seja pressionado em excesso.

Lipoaspiração e abdominoplastia
A lipoaspiração é uma cirurgia plástica que pode ser realizada em diferentes áreas do corpo – abdômen, braços, nádegas, coxas, axilas e outras. O procedimento ocorre por meio da aspiração da gordura localizada, e consegue definir um contorno mais bonito ao corpo. Dessa forma, o procedimento é muitas vezes associado à abdominoplastia.

Ao realizar uma abdominoplastia, o indivíduo muitas vezes adquire contornos mais “quadrados” do corpo. Dependendo do porte físico do paciente, a aparência visual não é exatamente a desejada. Com a associação da lipoaspiração, a silhueta ganha curvas mais delineadas, tornando-a mais natural.

A Lipo pode auxiliar também na recuperação do corpo após a primeira cirurgia. Isso porque, diminuindo a quantidade de gordura localizada, acaba por facilitar a fixação da pele em sua nova forma. Por esse motivo, ambas as operações são realizadas uma após a outra, na mesma mesa de cirurgia, para que o paciente possa se reabilitar mais rapidamente.

Isso não elimina, no entanto, a possibilidade de realizar uma lipoaspiração meses após a plástica abdominal. No entanto, essa nova cirurgia deverá ser bem avaliada com o médico, e vai depender do resultado da primeira.

Está esperando o que para investir numa abdominoplastia? Sua silhueta só tem a ganhar – e você pode contar com a Yoga!